Reunião da Câmara de Barroso contou com cidadãos no uso da palavra

Na noite desta segunda-feira, 17 de dezembro, a Câmara Municipal de Barroso promoveu uma de suas últimas sessões ordinárias do ano. O encontro aconteceu no plenário da Casa de Leis, logo após a realização da reunião mista das comissões, que acontece sempre às segundas-feiras, com início às 18 horas.
A sessão contou com a participação da Procuradora Jurídica do Município, Dra. Kelle Campos, que usou a tribuna para se dirigir aos parlamentares e tratar de pontos relacionados ao projeto de custeio da iluminação pública. A ex-vereadora Marli Torres e dois policiais militares, Cabo Tadeu e Cabo Vidal, também falaram aos vereadores sobre a questão. Após suas explanações, foi iniciada a Ordem do Dia.
Ordem do Dia:
– Emenda Modificativa 01 ao Projeto de Lei 108/2018
Objetivo: Dispõe sobre a contribuição para custeio do serviço de iluminação pública e dá outras providências.
Pedido de vistas: 02.
Votação: Suspensa, a pedido do Vereador João Campos.
– Primeira discussão: Projeto de Lei 108/2018
Objetivo: Dispõe sobre a contribuição para custeio do serviço de iluminação pública e dá outras providências.
Pedido de vistas: 01.
Votação: Prejudicado, devido á suspensão da Emenda Modificativa 01.
– Requerimento verbal do Marco Antônio da Silva (Kiko do Bedeschi):
Objetivo: que o Projeto de Lei 115/2018, que trata da questão do transporte intermunicipal de estudantes, faça parte da Ordem do Dia da reunião ordinária.
Pedido de vistas: 01
Votação: Prejudicado, devido ao segundo pedido de vistas, do Vereador Állan Campos.
Requerimentos verbais:
– Anderson Geraldo de Paula: que o Executivo se manifeste junto à Câmara Municipal sobre o pagamento das Emendas Impositivas, conforme indicação dos parlamentares.
Votação do requerimento: Aprovado por unanimidade.
– Leone Wagner do Nascimento: que o Legislativo envie votos de congratulação à servidora Lúcia Malaquias, do posto do IMA em Barroso, pelo trabalho desenvolvido na campanha de vacinação contra a febre aftosa, onde o Município chegou, mais uma vez, aos 100% de cobertura na imunização dos rebanhos.
Votação do requerimento: Aprovado por unanimidade.
– Eduardo Ferreira Pinto: que o Projeto de Lei 107/2018, que estima a receita e fixa a despesa do Município de Barroso para o Exercício Financeiro de 2019, faça parte da próxima reunião ordinária.
Votação do requerimento: Aprovado por unanimidade.
Na sequência, uso da palavra livre com manifestações dos vereadores: Eduardo Ferreira Pinto, Anderson Geraldo de Paula, Leone Wagner do Nascimento, Állan Campos e Baldonedo Arthur Napoleão.

Próxima reunião ordinária:
5ª feira, 20 de dezembro de 2018, às 19 horas
Ordem do Dia:
– Emenda Modificativa 01 ao Projeto de Lei 108/2018
Objetivo: Dispõe sobre a contribuição para custeio do serviço de iluminação pública e dá outras providências.
Pedido de vistas: 02.
Votação: Suspensa, a pedido do Vereador João Campos.
– Primeira discussão: Projeto de Lei 108/2018
Objetivo: Dispõe sobre a contribuição para custeio do serviço de iluminação pública e dá outras providências.
Pedido de vistas: 01.
– Primeira discussão: Projeto de Lei 107/2018
Objetivo: Estima a receita e fixa a despesa do Município de Barroso para o Exercício Financeiro de 2019, faça parte da próxima reunião ordinária.
Pedido de vistas: nenhum.

As reuniões acontecem no plenário da Câmara Municipal de Barroso, situado no Prédio dos Três Poderes, à Praça Sant’Ana, 120, 3º andar, no centro da cidade, sendo abertas à população. As referidas sessões são também transmitidas pela internet, através da Rádio Câmara e TV Câmara, no site www.camarabarroso.mg.gov.br. Além disso, a Câmara reprisa a íntegra das reuniões em sua página oficial no Facebook: www.facebook.com/camaradebarroso.

Na reunião o Sr. LUIZ MOREIRA comerciante há 30 anos falou sobre o aumento do recolhimento fiscal de 68,4 % = 0, 162 – 00,5 % para o cimento, um diagnóstico para melhorar o recolhimento do município e arrecadação a partir do poder público, e uma sugestão para melhorar o comércio, sendo assim o Felipe Queiróz disse que a administração os procurou para saber sobre esta informação também e que vão levar a idéia para ver o que pode ser feito .

O Sr. JORGE BARBOSA completou as palavras do Gerente Juliano Menezes respondendo a pergunta do Sandro Ferreira da COPASA , o por quê de não ter feito a linha férrea até Barbacena para escoamento do cimento , resumindo , os encalços jurídicos e indenizações das comunidades ribeirinhas seriam o problema maior que a questão ambiental e por isso não foi viável.

O Professor GALDINO SILVA sugeriu um projeto de continuação e manutenção das áreas arborizadas e não só plantar e deixar lá, é preciso mais disse ele, a LAFARGE HOLCIM já disponibiliza as mudas para a população , mas o professor em resposta aos pedidos da comunidade cobra ainda mais que seja implantado o mais rápido possível, pois em exemplo da via que liga os bairros do Rosário ao São José ele falou sobre os plantios das árvores que foram feitas mas que sem manutenção estão morrendo no meio aos matos e sem uma vistoria de uma empresa ou profissionais na área de jardinagem e meio ambiente para acompanhar de nada vai adiantar relatou o próprio.