Vereador João Campos denuncia pessoas com Covid-19 que estão transitando na rua

Vejam o vídeo que o Vereador João Campos denuncia pessoas com Covid-19 que estão transitando na ruas.

O vereador João Campos, o Golô (PDT), usou a Palavra Livre para fazer uma denúncia na Reunião Ordinária dessa quinta-feira (15). De acordo com o vereador, ele tem recebido fotos e relatos sobre pessoas que contraíram o vírus da Covid-19 e continuam saindo as ruas normalmente.

“Não adianta respirador, não adianta nada se as pessoas não se conscientizarem. O maior vírus é o da ignorância. Eu recebi relatos e até fotos de pessoas que contraíram o vírus e estão indo para o fila do banco” diz Golô, que direcionou a palavra ao líder do governo na Casa, Leone Nascimento (DEM), pedindo a ele que a Prefeitura faça uma campanha de prevenção neste sentido

Segundo Golô, são vários relatos fitos a ele e outros vereadores de que as pessoas sabem que estão com o vírus e saem de casa. O vereador Leone, diante da gravidade da denúncia, respondeu que iria repassar ao executivo naquela mesma noite. “Diante da gravidade do assunto, vou levar agora mesmo até o executivo para que uma atitude seja tomada”, diz Leone.

A reportagem do Barroso EM DIA também recebeu mensagens informando que algumas pessoas que estavam trabalhando fora da cidade estavam retornando para Barroso com o vírus. “Vocês devem olhar isso, fala para a Prefeitura. Eles sabem que estão contaminados”, diz uma das mensagens que chegaram na noite dessa quarta-feira (14).

CRIME

O Código Penal possui pelo menos 4 artigos que punem atitudes relacionadas ao desrespeito à determinação de isolamento, medida aplicada a pacientes diagnosticados com coronavírus (COVID-19).

O artigo 267, prevê como conduta criminosa o ato de causar epidemia, disseminando agentes patogênicos(vírus, germes, bactérias, entre outros). A pena prevista é de 10 a 15 anos de reclusão. Caso a epidemia causada resulte em morte, a pena é aplicada em dobro. Se a pessoas causou a epidemia sem intenção, ou seja, de maneira culposa, a pena é mais branda, 1 a 2 anos de detenção ou 2 a 4, se houver morte.

Com informações da Câmara Municipal de Barroso e Jornal Barroso Em dia