A sociedade moderna e suas frustrações

Grande parte de problemas e insatisfações que passam pela sociedade, estão ligados ao fato de não sabermos lidar com nossas frustrações. A mesma leva a decepção que vem acompanhada da não satisfação de uma expectativa que mantínhamos. A realidade contraria o esperado. Quase sempre é comum que uma frustração venha acompanhada de uma manifestação agressiva de quem experimenta esta situação.

Porém, um dos grandes colaboradores para agravar esta situação é o “Imediatismo”. Atingindo proporções enormes de pessoas que não conseguem respeitar o tempo para que as coisas possam acontecer naturalmente. Insistindo em não querer cumprir as etapas necessárias para que se tenha a conquista do desejado. Atropelando tudo e a todos! Por outro lado, em vez de criarmos expectativas para serem frustradas, deveríamos preocupar em estudar nossos objetivos, entendendo suas possibilidades para criar condições de realizar o que foi planejado. Aprender lidarmos com decepções e estarmos preparados para enfrentar as dificuldades e obstáculos que a vida nos apresenta.

Portanto, estudos apontam que a frustração não é uma doença, mas é considerada uma das mais fortes bases cognitivas da depressão. Segundo os dicionários, ocorre esta situação, quando: se quer fazer algo e não se faz; se quer algo e não consegue; é possível realizar algo, mas isto não se realiza. Ou seja, cuidado, pois lidar com decepções e adversidades da vida, é um repertório de base para todos nós, e não é restrito a faixas etárias, escolaridade, ou status social: é para todos.

Enfim, a crença de que temos que ter e fazer tudo a nossa maneira, como se realmente ficasse tudo sob nosso controle é a cada dia mais reforçado em nossa sociedade, como se esta fosse a condição para ser feliz. É importante sonhar e idealizar, mas é necessário termos a consciência de que, nem tudo se realizará. Vivenciar perdas, experimentar a melancolia e a tristeza diante das frustrações são processos importantes para o amadurecimento psíquico e aprimoramento das relações sociais. Neste sentido, devemos entender que a maior conquista, é nunca desanimar. Fé e força!

Att: Sérgio Pedro da Silva

Bacharel em Serviço Social