A responsabilidade com as Redes Sociais

É indiscutível o importante papel que as redes sociais desempenham nos rumos de nossa vida política, privada e social. São indiscutíveis também os avanços que as mesmas introduziram nas comunicações, favorecendo o reencontro e a aproximação entre as pessoas em qualquer lugar e a qualquer momento.

Porém, as redes sociais provocam mudanças de fundo no modo, como as nossas relações ocorrem,, intervindo significativamente no nosso comportamento social e político. No entanto, ao participar das redes sociais acreditamos ter muitos amigos à nossa volta, sermos populares, estarmos ligados a todos os acontecimentos e participando efetivamente de tudo. Isso é uma verdade, mas também uma ilusão, porque essas conexões são superficiais e instáveis. Os contatos se formam e se desfazem com imensa rapidez; os vínculos estabelecidos são voláteis e atrelados a interesses momentâneos.

Entretanto, um dos grandes entraves são as Fake News que espalham discursos de ódio e preconceitos, causando até mesmo problemas de saúde pública. As mesmas têm um grande poder viral, isto é, espalham-se rapidamente. As informações falsas apelam para o emocional do leitor/espectador, fazendo com que as pessoas consumam o material “noticioso” sem confirmar se é verdade seu conteúdo.

Enfim, nós somos responsáveis por tudo aquilo que praticamos nas redes sociais. Neste sentido, uma vez que esta prática não é positiva e pode atingir a alguém ou alguma marca, estamos consequentemente prejudicando a nós mesmos e ofuscando nossa personalidade. Assim, precisamos sempre buscar atuar de forma responsável também nas nossas relações digitais. Não vamos deixar de manter o respeito ao próximo, esta regra é básica para qualquer tipo de relação.

Não esqueçamos da velha Regra de Ouro, que diz que devemos ativamente buscar e tratar os outros como gostaríamos de ser tratados em todas as coisas.

Att: Sérgio Pedro da Silva

Bacharel em Serviço Social